Luciano Stabel

1. Nome, idade e ocupação:
Luciano Miranda Stabel, 28 anos, fotógrafo.

2. Por que você faz o que faz, qual a satisfação que te dá?
Ao se lidar com uma atividade relacionada a arte, existe alguma coisa de realização pessoal muito grande nisso, algo intimamente relacionado inclusive com crenças pessoais. No meu caso, gosto de parafrasear o Sebastião Salgado, que diz que o foto jornalista navega na crista da onda da história, e isso me atrai muito... vou parar essa questão aqui pois se continuasse, começaria a responder as próximas!

3. Onde você gostaria chegar com sua ocupação? Qual o máximo que gostaria de atingir, ainda que fosse utópico?
Justamente o que citei acima. Gostaria, de alguma forma, deixar algo que tenha produzido na história. Algo que daqui 100, 200 ou 300 anos, tenha alguma relevância e que seja lembrado.

4. Que outra coisa acha que poderia fazer se não fizesse isso? Acredita na idéia de vocação (“Nasci para isto”)?
Não acredito na ideia de vocação. Acredito que circunstâncias e ambiente podem te proporcionar condições de desempenhar alguma coisa ou algum papel de forma bem feita. Se não trabalhasse com fotografia, tranquilamente como trabalharia com marketing (coisa que ainda faço na verdade), pois além de tudo, toda minha formação acadêmica está nessa área.

5. Que outra coisa você não suportaria fazer?
Não seria advogado em hipótese alguma. Gostaria de entender mais de direito para me defender, mas advogar, é algo que não faria nem em sonho.

6. Você se preocupa com a transcendência do seu trabalho? Gostaria de alcançar a fama e a glória?
Acho que na fotografia existe algo mais ou menos como na música. Há coisas e situações que fotografo para mim, há coisas e situações que fotografo para clientes. Normalmente, o que se faz para clientes existe dentro de uma certa perecibilidade. Já o que faço para mim, gostaria que tivesse certa transcendência (já citada em resposta anterior), mas fama propriamente dita não. Claro que gostaria de ter reconhecimento profissional em esferas maiores, mas a “fama pela fama”, não.

7. Você acha que gênios existem? De onde vem sua capacidade especial?
Não sei se gênio seria um termo adequado... mas sem dúvida existem profissionais na fotografia que se destacam por um algo mais. Também não diria capacidade especial, diria que o resultado da minha produção vem de bastante estudo, força de vontade, persistência e paciência.

8. O que é a arte para você?
Não dá pra pular essa? (aqui ele colocou uma carinha rindo)

9. Quem te inspira? Por quê?
Busco formas de inspiração diferenciadas. Evidente que se busca inspiração em nomes dentro da própria fotografia (Evandro Teixeira, Sebastião Salgado, Cartier-Bresson, Steve McCurry, Annie Leibovitz, Joel Sartore, Art Wolfe... ih, a lista é longa!), mas além disso, também busco inspiração em outras formas de arte, como literatura (sim, literatura!), pintura e cinema.

10. O que você está lendo agora? Qual o livro preferido em sua biblioteca?
Agora estou lendo “Breve História do Canadá”, de Desmond Morton. Não tenho um livro favorito, mas diria que sou muito fã do Amyr Klink e das mensagens nos livros dele.

11. Como é seu processo criativo? Quanto tempo passa desenvolvendo uma ideia? Não existe um método engessado, cada situação é diferente uma da outra... Já tive situações em que passei mais de semana tentando achar a melhor solução, em outras, tão desafiadoras quanto, a solução foi encontrada em meia hora.

12. PC, MAC ou lápis e papel? Por quê?
Os três. No meu caso, PC tratamento de imagens pesado. Mac (meu note), uso para editar imagens mais simples, para uso na internet e vivo com ele para onde eu vou. Lápis e papel sempre é bom para rabiscar algumas ideias.

13. Blog, Fotolog, Orkut, Facebook ou Twitter? Por quê?
Depende... pra manter contato com os amigos Orkut. Para curtir e compartilhar minha produção, Flickr (fotolog).

14. Existirmos, a que será que se destina?
No dia que a gente descobrir, vai perder um pouco da graça...

15. Lo que piensas y lo que dices, es lo mismo?
Nem sempre, mas normalmente sim... Enfim, as vezes é necessário ser polido e não dizer tudo o que se pensa, assim como as vezes também não dá para ser sincero demais.

16. Qual o melhor momento do dia para trabalhar? Por quê?
Qualquer hora é hora para estar com a câmera na mão... mas na rua, para fotografar, gosto do amanhecer e do entardecer.

17. Qual seu site preferido?
O favorito não, porém o que mais uso é o Flickr (http://www.flickr.com/).

18. É necessário muito treinamento técnico para exercer sua profissão?
Sim. Técnico e também emocional... digo isso pois em Inter 2 x 1 Flamengo, enquanto cobria o jogo e saiu o segundo gol do Internacional, não foi fácil segurar a vontade de gritar gol. A propósito, essa foi a única vez que saí do controle durante uma cobertura de futebol.

19. Você se incomoda que critiquem seu trabalho?
Não, escuto críticas o tempo todo... esse tipo de trabalho sem crítica não existe. E se não criticarem, é porque realmente existe algo de errado.

20. Acredita nisso de “não há nada de novo sob o sol”? Você gosta de experimentar e inovar?
Não acredito nisso... sempre tem coisa nova surgindo por aí.

21. Drama ou comédia?
Os dois, mas me inclino mais a comédia.

22. Houve algum momento que que tenha se dito: “Abandono tudo, não quero mais isso pra mim”?
Sim... várias vezes, mas nenhuma vez por insatisfação com a atividade em si, mas sim com o complicado retorno financeiro e a baixa percepção de valor de pessoas/empresas para com a fotografia.

23. Acredita no conceito de alma, espírito, energia vinculada (ou separada) ao corpo?
De certa forma sim. Como dizem, somos o que pensamos que somos.

24. Voce já diz “No meu tempo não era assim!” ou “Que maravilha a época em que vivemos!”?
Sendo meio controverso: pelas tecnologias, “que maravilha”! Pela violência e desrespeito cada vez maior entre as pessoas e meio ambiente, “no meu tempo não era assim”.

25. Os seus nervos são de aço?
Não... longe disso, mas tento me controlar.

A CLÁSSICA: O que você gostaria de ouvir de Deus quando chegasse lá?
Desce lá de novo, te dou outra chance de fazer tudo mais uma vez.

Como é seu local de trabalho?

Obrigada Luciano!

Conheçam mais sobre este jovem Senhor aqui e aqui.

1 comentários:

Sandra disse...

Gostei muito da intrevista. Bleas respostas.
É uma iniciativa muito interessante.
Com carinho
Sandra