Juliano da Natividade

1. Nome, idade e ocupação:
Juliano da Natividade, 19 anos, estudante de economia.

2. Por que você faz o que faz, qual a satisfação que te dá?
Faço porque é preciso e sinto que será bom algum dia, vejo-me fazendo isso, não sei porquê, mas vejo. A satisfação, estudando, ainda não a encontrei, estou me sentindo um peixe fora d’água, mas me falaram que isso é normal, que depois me encontrarei... espero que isso seja verdade.

3. Onde você gostaria chegar com sua ocupação? Qual o máximo que gostaria de atingir, ainda que fosse utópico?
Dentro da economia, desejo desenvolver algo que faça bem para mim e para os outros, algo que seja saudável para todos, não um sistema econômico, porque um sistema é simplesmente o resultado do que somos, e eu iria cair no grande erro de todos os revolucionários, que tentaram impor algo que não fazia parte da consciência de todos, pois tudo que posto de fora para dentro gera conflito, e disto já estamos cheios... mas, é isso, tentarei encontrar ou trabalhar com uma maneira equilibrada de desenvolvimento qualitativo para todos os envolvidos.

4. Que outra coisa acha que poderia fazer se não fizesse isso? Acredita na idéia de vocação (“Nasci para isto”)?
Ih, acredito que poderia ser nutricionista, aliás já pensei em trocar de faculdade algumas vezes. Acredito na vocação, sim... porém isso não é a condição para você “ser” algo, pois basta querer... mas que tem gente que nasce para ser àquilo, tem.

5. Que outra coisa você não suportaria fazer?
Não suportaria fazer algo em que eu não me sentisse bem. Político seria um grande exemplo, nada contra, mas eu não seria.

6. Você se preocupa com a transcendência do seu trabalho? Gostaria de alcançar a fama e a glória?
Não, ser O melhor é se comparar com alguém e dizer que é superior, e não curto muito isso. Fama e Glória? Depende, se isso for necessário para que meu trabalho tenha um feedback profissional e financeiro, talvez sim.

7. Você acha que gênios existem? De onde vem sua capacidade especial?
Gênios de alguma coisa, sim, pois Albert Einstein existiu. E minha capacidade especial... Que capacidade?

8. O que é a arte para você?
É uma expressão de símbolos, que muitas vezes faz sentido para quem a fez, mas permite que os outros, também, criem seus significados e entendimentos para o que estão vendo, ouvindo ou tocando... Por isso ela se torna infinita.

9. Quem te inspira? Por quê?
A Terra. Porque ela é o significado de toda nossa existência, representa a vida e ao mesmo tempo é “apenas” um pontinho cósmico no meio do universo, é tudo e nada ao mesmo tempo.

10. O que você está lendo agora? Qual o livro preferido em sua biblioteca?
A Primeira e Última Liberdade (J. Krishnamurti). Não tenho biblioteca.


11. Como é seu processo criativo? Quanto tempo passa desenvolvendo uma ideia? Ele é instantâneo, a mente deve estar livre de qualquer idéia, pensamento ou memória ativa, pois, se não ele será um processo não criativo, será apenas uma mera exposição “diferenciada” da nossa mente, e isso não é criar, é repetir.

12. PC, MAC ou lápis e papel? Por quê?
PC. Porque é uma Pu** Coisa inventada pelo homem.

13. Blog, Fotolog, Orkut, Facebook ou Twitter? Por quê?
Orkut. Porque é mais completo e foi um dos primeiros que mais colou, antes tinha o blog e fotolog, só que exigiam uma atualização constante, além de serem modalidades mais rígidas, pois é sempre uma voz ativa que mostra algo e os “leitores” analisam, alguns comentam, outros não fazem nada, e ficava sempre aquela coisa monótona (nada contra, tem blogs ótimos, como este...), mas daí inventaram o Orkut que dá para saber da vida de todo mundo, pelo menos dava até eles começarem a limitar, permitindo que o usuário bloqueie algumas fotos, utilize alguns filtros, etc... vai entender, o objetivo era uma rede de relacionamento aberto... mas daí ficou uma rede aberta meio fechada... não entendi mais nada. Mas, de uns tempos para cá começaram com estes outros, Facebook, Twitter e mais uns quantos, porém prefiro ficar com uma coisa só, o Orkut.

14. Existirmos, a que será que se destina?
Tentei copiar alguma resposta anterior, mas não encontrei o que poderia significar isso. Sorry, não fica feio não ser erudito, né?

15. Lo que piensas y lo que dices, es lo mismo?
Penso tantas coisas que não digo. Digo tantas coisas que não penso.

16. Qual o melhor momento do dia para trabalhar? Por quê?
Das 13h30 às 20h. Porque de manhã usaria para ver a vida como deve ser vista e a noite para relaxar e fazer o que deve ser feito.

17. Qual seu site preferido?
Orkut.com. Não diria preferido, mas é o que eu mais acesso (é o que faço, quando sento no PC, depois de entrar no MSN, é claro).

18. É necessário muito treinamento técnico para exercer sua profissão?
Estudar serve para isso.

19. Você se incomoda que critiquem seu trabalho?
Gostar, acho que ninguém gosta, mas eu utilizo muito o que surge com as criticas, aliás, eu sou o meu maior criticador, insuportável as vezes.

20. Acredita nisso de “não há nada de novo sob o sol”? Você gosta de experimentar e inovar?
Tudo é um processo de experimentar, nascemos nus sabendo somente uma coisa, rir. Espero que todo o resto surja experimentando e inovando, mas que no final reste pelo menos o sorriso.

21. Drama ou comédia?
Comédia.

22. Houve algum momento que que tenha se dito: “Abandono tudo, não quero mais isso pra mim”?
Aham. Passei por isso há alguns dias. É tão bom! Dá um alivio. Você se sente perdido, normal, estamos meio condicionados ao que vivemos e quando começa algo novo ou diferente nos sentimentos perdidos, mas o importante é poder recomeçar.

23. Acredita no conceito de alma, espírito, energia vinculada (ou separada) ao corpo?
Acredito, esse corpo nos é emprestado, é usado por um fragmento de tempo e depois é devolvido a mãe terra, mas a alma é eterna.

24. Voce já diz “No meu tempo não era assim!” ou “Que maravilha a época em que vivemos!”?
Não digo, já falei, mas por mera repetição. Nostalgia é estranho... sentir saudades é normal, mas acho que só serve para demonstrar que valorizar o agora é o mais importante.


25. Os seus nervos são de aço?
Não, cartilagem, com grande facilidade de adquirir tendinite.


A CLÁSSICA: O que você gostaria de ouvir de Deus quando chegasse lá? Independente da idéia de que Deus seja um homem (Homo sapiens) ou não, desejo não ouvir, mas ter uma sensação boa, de continuidade.


Como é seu local de trabalho?

obrigada Juh. Bonita a resposta 9.
Conheçam mais sobre este Moçoilo lá na UFSC, cadeira de Economia. Ele também está no orkut e tem muitas fotos divertidas lá.

0 comentários: