João Menéres

1. Nome, idade e ocupação:
João Menéres, 74 anos (16.Novº.34) e um desocupado sem tempo para coisa alguma, já que em muitas tarefas me meto, depois de estar verdadeiramente afastado da Engenharia. A fotografia é um hobby que me leva a todo os lugares. Com a câmera e a maleta pesada não há cansaço que me alcance.Criei um blogue (http://grifoplanante.blogspot/) há dez meses e, desde então, nem tenho tempo para ler o Jornal, nem as revistas semanais que assino. Já para não falar da TV.

2. Por que você faz o que faz, qual a satisfação que te dá?
A Fotografia é um prazer que me tomou por completo em 1972. Ter ganho o primeiro concurso (e era de nível ibérico) em que participei talvez tenha contribuído para que o bichinho (que existia há anos adormecido em mim) se desenvolvesse e se afirmasse.No decorrer do ano passado, depois de comprar um computador Mac de 24", um Scanner EPSON V 700 PHOTO e uma impressora, também EPSON DX 8400, para digitalizar, tratar e arquivar o essencial do meu trabalho fotográfico de mais de trinta e cinco anos, fiquei verdadeiramente entusiasmado com a blogosfera (o primeiro blogue que me apaixonou foi a versão anterior do Picturapixel.Bloco de Notas, do Cláudio Versiani, reporter fotográfico de verdadeira dimensão internacional). Aí, tomei conhecimento do VARAL DE IDEIAS, de Eduardo P.L. (Não quero mentir, mas acho que o Eduardo descobriu um varal meu lá e postou-o no seu já citado espantoso blogue).Então, começou a minha última loucura! Em 15 de Novembro de 2008, iniciei o meu blogue sem que percebesse nada de nada, muito menos das ferramentas à minha disposição (e nessa situação me encontro ainda...), dado que nunca fiz nenhum curso de informática.A fotografia ficou um tanto a queixar-se e está amuada comigo. Quando me dá na gana, então, é na Fotografia que penso mas, sem que a blogosfera me saia do pensamento. Em média, estou mais de 10 horas por dia em frente ao "vidrinho", como lhe chama com ironia a minha mulher.

3. Onde você gostaria chegar com sua ocupação? Qual o máximo que gostaria de atingir, ainda que fosse utópico?
Na Fotografia, conhecendo as minhas limitações, considero ter atingido um patamar que nunca esteve no meu pensamento. Fui o primeiro português a ser convidado para expôr na Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa), ganhei inúmeros concursos, tanto em Portugal, como no Estrangeiro. Realizei diversas exposições individuais, tanto em diversos países da Europa, África e no Recife. Dezenas de individuais aqui em Portugal e participei em mais de uma centena de colectivas de renome, tanto cá, como pelos mais diversos cantos do mundo. Actualmente, as participações, numas e noutras, são esporádicas e muito pontuais.Além disso, tenho dezenas de livros a que prestei colaboração significativa e uma meia dúzia em que sou o autor fotográfico. Destes, três são de minha própria iniciativa.

4. Que outra coisa acha que poderia fazer se não fizesse isso? Acredita na idéia de vocação (“Nasci para isto”)?
Embora não tenha estudos musicais, gostaria de ter sido pianista ou violinista.Não tendo o menor jeito para o desenho (ao contrário dos meus três irmãos), também gostava de ser Pintor.O gosto pelas coisas da Arquitectura é-me menos estranho. Tanto assim que contribui, de forma marcante, para a concretização da moradia onde resido.

5. Que outra coisa você não suportaria fazer?
Coisas que eu não suportaria fazer? Tudo que não envolvesse Arte, Poesia, Natureza e Bem Estar, decididamente.

6. Você se preocupa com a transcendência do seu trabalho? Gostaria de alcançar a fama e a glória?
Já não tenho idade para essas divagações. Os sucessos já alcançados em tantas áreas já me bastam.

7. Você acha que gênios existem? De onde vem sua capacidade especial?
Se os Génios existem? O do MAL, não tenho dúvidas. De onde vem a minha capacidade especial? Para o Mal? Abstenho-me de responder. Penso que a minha maldade não merece notícia.

8. O que é a arte para você?
Pergunta de difícil resposta para mim. Embora razoavelmente inserido no meio de Arquitectos, Pintores, Escultores, Compositores ou Solistas, Escritores ou Poetas, de cada um otenho uma definição sobre o que é a Arte. Tão díspares elas são, que conseguiram que cada vez esteja mais confundido. Do que me faz SENTIR, do que me agita por dentro e os meus olhos ou ouvidos se regozijam, considero ter Arte diante de mim.

9. Quem te inspira? Por quê?
A inspiração surge, se surge. Não a procuro. Mas, no subconsciente haverá sempre alguém que me dá fundamental ajuda.

10. O que você está lendo agora? Qual o livro preferido em sua biblioteca?
No momento, estou a ler com toda a tranquilidade ISTO TUDO QUE NOS RODEIA, um livro que contém as CARTAS DE AMOR trocadas entre Mécia de Sena e Jorge de Sena.Não tenho um livro preferido entre os alguns milhares que ao longo de cerca de 60 anos fui comprando, abragendo múltiplas áreas.Do Policiário, à Poesia. Do Romance às Biografias. Da Filosofia ao de Viagens. De História às Monografias. Do livro Técnico a sei lá...Não posso indicar UM, tão pouco um autor.

11. Como é seu processo criativo? Quanto tempo passa desenvolvendo uma ideia?
Como não me dedico à Fotografia Criativa, não tenho resposta para esta pergunta. As únicas criações fotográficas que procuro manter e desenvolver, quando possível, residem na forma de olhar, de ver. Normalmente, tudo é um curto instante. O enquadramento nasce da mesma forma. E a escolha da objectiva é lógica. Por isso, não gasto muito tempo.Dou um singelo exemplo: Quando me parece que numa dada situação tenho a oportunidade de realizar uma imagem fotográfica, não ando ali às voltas em busca do "ponto". Estou já lá. Não pensem que isto é balela. Depois de realizar essa primeira, vou logicamente à procura de outras alternativas e faço os cliques à medida que julgo conveniente. Pois bem, em 98% dos casos, a melhor imagem fora realizada ao primeiro disparo.

12. PC, MAC ou lápis e papel? Por quê?
Actualmente a escrita sai à medida do teclar no Mac. Também não utilizo o mouse. Tenho uma mesa BAMBOO FUN, da WACOM (com uma área útil de 14x22 cm) com uma drive.A técnica (Regina Barroso) que imprime as minhas imagens para exposições ou que me concretiza o tratamento mais exigente do photoshop é uma mesa destas que tem.Como o trabalho é executado sob a minha orientação e presença permanente, habituei-me de tal forma a este processo que me era já perfeitamente familiar. Nunca me preocupei em ir tentando aprender. Ela é a mão que eu oriento para o resultado que desejo.Claro que trabalho no photoshop mas de um modo que reconheço muito primário e de que não consigo atingir as potencialidades que, eventualmente, a imagem permitiria.

13. Blog, Fotolog, Orkut, Facebook ou Twitter? Por quê?
A blogosfera preenche e ultrapassa em muito o tempo admíssivel. Recuso entrar no Facebook, no Twitter e por aí fora.
14. Existirmos, a que será que se destina?
Como sempre soube que não obtinha uma resposta dogmática, perder tempo com essa questão para nada serviria.Enquanto andarmos por este planeta, temos a obrigação, moral e cívica, de nos esforçamos por o não destruir e ajudar quem de nós precisa. E, às vezes, é tão pouco aquilo que de nós esperam...

15. Lo que piensas y lo que dices, es lo mismo?
O meu coração está na ponta da língua. Isso, tem-me causado dissabores ao longo destes já apreciáveis anos que desta vida aqui levo. No entanto, poucas seriam as palavras que, se reflectisse um momento, não teria pronunciado.Como Escorpião sou impulsivo. Diria, talvez, melhor: Sou franco, demasiado franco.

16. Qual o melhor momento do dia para trabalhar? Por quê?

Qualquer hora é boa para trabalhar. Tudo depende do que estou a fazer.Para dormir: deitar tarde e cedo erguer.Para ler: à noite, quando me deito.Para fotografar: Cada tema tem uma hora mais própria. Cada intencionalidade tem o seu tempinho.Para as refeições: horas mais ou menos certas. Excepto se estou a fotografar fora do Porto. Aí não há horas, por vezes, até me esqueço, caso esteja sem companhia.
17. Qual seu site preferido?
Site ou blogue? Site: o do Boletim Meteorológico. Blogue: Já estou tão aflito para conseguir excluir 14 para o BlogGincana, da dupla Eduardo P. L. / Jorge Pinheiro...Não me falem num, e só num, blogue preferido!

18. É necessário muito treinamento técnico para exercer sua profissão?
Vou falar da Fotografia apenas e, óbvio, a minha opinião pessoal:É indispensável, para ter algum sucesso, saber as regras de composição (comum a qualquer Arte). Mas aplicá-las sem ter que pensar nelas.Depois de isto se verificar, já podemos usar de uma liberdade muito maior.É conveniente (para nosso próprio benefício) conhecermos bem o que a nossa câmera nos oferece. Na Era Digital é incrível o leque que está à nossa disposição numa câmera semi-profissional, de preço acessível à maioria dos aficcionados, mesmo que alguns sacríficios tenham que enfrentar.Muita olhadela em revistas ou livros de Fotografia de qualidade.Praticar muito. Anotar tudo. Desde o sítio fotografado até os dados referentes à sensibilidade usada, á velocidade de obturação, à abertura, com que objectiva e distância focal fizémos determinada imagem e por aí fora.Em muitas câmeras digitais, vários destes dados ficam registados. Porém, quando passamos um cartão para um CD e libertamos o cartão, em princípio, não é mais possível retomar esses dados.

19. Você se incomoda que critiquem seu trabalho?
As críticas são sempre bem vindas. Não confundo com a vontade do bota-abaixo que é desprezível (poderia servir-me de um outro adjectivo que melhor traduziria o meu pensamento).

20. Acredita nisso de “não há nada de novo sob o sol”? Você gosta de experimentar e inovar?
Se o Sol está sob constante mutação, como é possível que, se tudo dele depende, se possa manter imutável?As experiências ( como tentativa de inovar) por vezes têm acontecido na minha vida, seja o aspecto que fôr considerado.

21. Drama ou comédia?
Drama? Já me chega a vida real à minha volta.

22. Houve algum momento que que tenha se dito: “Abandono tudo, não quero mais isso pra mim”?
Duas vezes na minha vida profissional. Da segunda vez, estou muito arrependido. Mas já foi há três décadas...

23. Acredita no conceito de alma, espírito, energia vinculada (ou separada) ao corpo?
Nesse aspecto, sou mais do género de pessoa terra-a-terra.

24. Voce já diz “No meu tempo não era assim!” ou “Que maravilha a época em que vivemos!”?
Aí, sou "bigâmico". Tenho as minhas memórias e sou durito de roer.

25. Os seus nervos são de aço?
Os meus nervos de aço? Deixa-ma rir...

A CLÁSSICA: O que você gostaria de ouvir de Deus quando chegasse lá?
A Terra é má, mas há lá tanta gente de quem não te despediste...Sempre te considerei um terrestre bem educado. Queres lá voltar para te despedires ? Não tenho grande pressa, por isso, faz tudo o que deixaste por fazer!

Como é seu local de trabalho?
Como é o meu local de trabalho? Estou reformado e tudo o que faço é divertimento. Mostro um dos recantos onde, antes de me envolver na blogosfera, lia e ouvia música.


Obrigadíssima João! Valeu a espera. Adorei o sotaque e em especial a sétima resposta.

Conheçam mais sobre este Senhor aqui.

Read more